Serenatas Velhas abrem semana de festa para os estudantes minhotos

A Receção ao Caloiro 2016 iniciou-se com as já esperadas Serenatas Velhas na cidade de Guimarães, num momento histórico para todos os membros da academia minhota. 

As ruas da cidade encheram-se de capas negras. Fica a saudade e relembram-se momentos pelos quais todos os estudantes passam.

Com ponto marcado no famoso Largo da Oliveira, espaço emblemático da cidade, membros antigos da universidade – o Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho - fizeram soar as primeiras cordas de uma semana que ficará marcada pelas atuações de vários artistas.

Desde caloiros a doutores, foram vários os estudantes e até mesmo antigos alunos que marcaram presença neste evento.

Tal como afirmou Bruno Alcaide, presidente da AAUM, “este é um momento de partilha do espirito académico”. 

Ainda inserido na semana académica, Bruno Alcaide deixa o apelo para que seja uma semana em que os novos alunos sejam integrados na universidade, pois é um momento em que todos os membros da academia se unem. 

O cartaz da receção vai contar com atuações dos vários grupos culturais da Universidade e com mais de 20 artistas, entre eles Linda Martini, Santamaria ou Richie Campbell. 

Governo e associações académicas apresentaram campanha contra a violência no namoro 

Ao início da noite, o Largo da Oliveira foi palco da apresentação da campanha “Muda de curso: violência no namoro não é para ti”. Um projeto que junta Governo e várias federações e associações académicas do país ao longo deste ano letivo. O objetivo é o combate e consciencialização à violência no namoro entre os jovens universitários.

 

Catarina Marcelino, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade:

“Eu não consigo pensar pela cabeça de alguém de 20 anos. Para sermos impactantes e disruptivos, temos de ter o pensamento de alguém para quem estamos a dirigir a campanha. E aí, só podíamos fazer em conjunto com as federações académicas. A partir daí, começámos todos a dar contributos e surgiu esta campanha, que vai durar o ano letivo todo e esperamos que seja impactante.

As associações e federações académicas já deram o grande contributo ao contruírem connosco a ideia. Em fevereiro, pelo dia dos namorados, vamos ter outro momento de campanha, estamos a estudar ainda como. E depois, no final do ano letivo, nas festas académicas, voltar a ter um vídeo. Mas em fevereiro vamos lançar uma linha de financiamento, que vai permitir que as associações académicas possam concorrer para projetos nas escolas e universidades.

Queremos que o problema se torne visível, que deixe de ser tabu. Os números da UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta) chamam a atenção e a violência no namoro no secundário, não é diferente do das universidades. Queremos criar uma discussão em torno da questão e que a violência é uma coisa negativa. A felicidade tem de ser sem violência.”

 

Este website utiliza cookies que permitem melhorar a sua navegação. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. O que são Cookies?