43º aniversário da Universidade do Minho

A Universidade do Minho comemorou o seu 43º aniversário na passada sexta-feira, 17 de fevereiro. Num dia marcado pela presença de ilustres convidados e várias iniciativas que se estenderam durante todo o dia, foi momento de celebrar o passado e refletir o futuro, mas também para distribuir elogios e apelar ao desenvolvimento daquela que é uma das melhores academias do país.

As celebrações do 43º aniversário da Universidade do Minho iniciaram-se na quarta-feira à noite, quando o Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, recebeu a Orquestra e o Coro de Alunos de Música da Universidade do Minho, o Coro Sinfónico Inês de Castro e o Coro do Conservatório Superior de Música de Vigo, que tiveram a companhia do maestro Claude Villaret e das solistas Cristiana Oliveira e Patrícia Quinta.

Já na quinta, à noite, um Theatro Circo a rebentar pelas costuras pôde presenciar ao Concerto dos 43 anos da Universidade  do Minho, trazido pela Orquestra e Coro da Universidade. A sala de espetáculos pareceu pequena, tendo em conta todos aqueles que se dirigiram ao local para assistir às comemorações. António Cunha, Reitor da Universidade do Minho, lançou o mote, falando do “privilégio de ser reitor de uma universidade com estes músicos”.

Para a manhã de sexta-feira estava marcada a Cerimónia Solene, no Salão Medieval da Reitoria, no Largo do Paço, em Braga, que contou com as presenças e intervenções do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Magnífico Reitor António Cunha, de Bruno Alcaide, Presidente da Associação Académica, de Álvaro Laborinho Lúcio, Presidente do Conselho Geral e de Fernanda Rollo, Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Falou-se do nascimento da Universidade do Minho e dos desafios encontrados ao longo do percurso de afirmação da academia minhota, numa introspeção sobre o trabalho protagonizado pela UM no panorama do Ensino Superior nacional e internacional. Houve também espaço para uma reflexão sobre futuro, nunca esquecendo a conjuntura atual de cortes e dificuldades, e, num tom de conversa informal, os convidados falaram sobre as suas experiências no mundo académico e das suas transições para o mundo do trabalho, chegando inclusive a providenciar alguns conselhos.

Os momentos musicais estiveram sob a direção do maestro Rui Paulo Teixeira e sob a alçada do Coro Académico da Universidade do Minho (CAUM) e da Camerata – Orquestra de Cordas do Departamento Musical da UMinho. 

Na parte da tarde, e ainda enquadrada nas cerimónias do aniversário da Universidade do Minho, foi inaugurada a Biblioteca e Salas de Estudo 24 horas Fernão Mendes Pinto. O projeto, já há muito pedido pelos estudantes da Universidade do Minho, foi inaugurado pela Secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Fernanda Rollo, e pelo Reitor da Universidade do Minho, António Cunha.

De seguida, “Quem és? De onde vens? Para onde vais?”: o poema de Manuel Maria Barbosa du Bocage emprestou o nome à primeira Tertúlia 2Share, que tinha como convidados Isabel Fernandes, Diretora do Paço dos Duques, António Cunha, Reitor da Universidade do Minho, e Pedro Fraga, CEO da F3M. Num ambiente informal e descontraído, os convidados falaram sobre a sua experiência académica, sobre a passagem para o mundo do trabalho e sobre o universo profissional. A sessão, que tinha o objetivo de transmitir conhecimentos, ideias, e dicas práticas aos alunos, proporcionou, ainda, a oportunidade de colocar questões à mesa de convidados.

O dia terminou com a organização de um jantar-conferência, no Largo do Paço, em Braga, que juntou líderes da Geração “X” e Millennials. Com a temática “Mind the Gap”, a conferência fomentou a conversa sobre as fendas geracionais e os desafios colocados à liderança e formas de gestão atuais.

Já no sábado, dia 18, o Pavilhão Desportivo de Gualtar, em Braga, recebeu a sétima edição do "Jogo das Estrelas", que junta figuras da Universidade do Minho a personalidades externas ligadas à academia minhota, num momento mais descontraído e informal. Desta vez, o encontro terminou com a vitória da Academia, por 9-4. De ressalvar que no início da partida todos os presentes prestaram um momento de silêncio, de forma a homenagear o árbitro Paulo Paraty, falecido no ano passado, e que desde sempre apadrinhou esta atividade.

Desta feita, o 43º aniversário da Universidade do Minho juntou alunos, docentes, entidades externas e personalidades de relevo para a academia. São 43 anos de conquistas, lembranças e histórias, com a certeza que ainda há um longo trilho para percorrer.

Este website utiliza cookies que permitem melhorar a sua navegação. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. O que são Cookies?