Braga e a UMinho serão palco para os melhores universitários do mundo de Karaté

Apresentação Oficial do evento decorreu na Câmara de Braga

O Campeonato Mundial Universitário de Karaté 2016, que decorrerá de 10 a 13 de agosto terá a cidade de Braga e a UMinho como anfitriãs. A cidade que quer ser a capital europeia do desporto 2018 vê mais uma vez o seu nome ligado a um grande evento desportivo internacional que terá os melhores universitários do mundo da modalidade.  

A cerimónia de apresentação oficial do evento decorrida hoje, pelas 10h00, no Salão Nobre dos Paços do Concelho em Braga, deu a conhecer alguns pormenores deste, como os seus organizadores, parceiros, palcos, alguns números em termos de atletas e países participantes e especificidades desta competição. A ação contou com a presença do Presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, do Vice-reitor da UMinho, Rui Vieira de Castro, do Presidente da AAUM e Presidente do Comité Organizador do Campeonato, Bruno Alcaide, do Presidente da FADU, Daniel Monteiro, do Administrador dos SASUM, Carlos Silva, do selecionador nacional da modalidade, Joaquim Gonçalves, do membro do Comité Executivo da FISU, Fernando Parente, entre outros.

Tal como referiu o Presidente do Comité Organizador, este tipo de eventos tem sempre uma participação abrangente e interligada entre a Associação Académica, a UMinho e as Câmaras Municipais que acolhem estas atividades, e mais uma vez isso vai acontecer, sendo que “para além de cooperação em várias vertentes, o Mundial Universitário de Karaté será integrado no programa oficial da Capital Ibero-Americana da Juventude 2016”. Segundo Bruno Alcaide, o evento internacional trará a Braga cerca de 500 participantes, de mais de 50 países, pretendendo o líder estudantil uma “participação inclusiva com os estudantes da UMinho”, de forma que se envolvam no evento, nomeadamente no voluntariado, com o apoio em várias áreas determinantes para o sucesso deste, tais como, acompanhamento às equipas, apoio na área da saúde, na área técnica, entre outras. Reforçando ainda a ideia da mais-valia destes eventos na ligação entre a Universidade e a cidade.

 

Tendo como instituições organizadoras, a Universidade do Minho (UMinho) através dos Serviços de Acção Social (SASUM), em cooperação com a Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM), com o apoio da Federação Académica do Desporto Universitário (FADU) e da Federação Internacional do Desporto Universitário (FISU), esta será a 10ª edição do evento, mas a primeira realizada em Portugal.

Este será, como referiu do Presidente da FADU, o 22º Campeonato do mundo organizado em Portugal “o que reflete bem a estratégia de internacionalização do desporto universitário”, realçando ainda a enorme abrangência que este terá em número de países e atletas participantes “o que possibilitará que mais jovens conheçam o nosso país e neste caso, a cidade Braga, o que é excelente na ótica do turismo” disse. Daniel Monteiro sublinhou ainda que esta competição internacional no nosso país “faz com que mais jovens tenham contacto com a modalidade e com desportistas de topo internacionais, o que é muito bom”.  Para o responsável da FADU, os atletas participantes nestas competições “são atletas de exceção, pois conseguem conciliar uma verdadeira carreira desportiva, de reconhecimento e de mérito, com a carreira académica”. Afirmando que a estratégia de receber/organizar estes eventos internacionais é para continuar “é importante esta troca de experiências” afirmou.

Esta cerimónia de apresentação aconteceu quando faltam cerca de seis meses para o início do mundial, um momento aproveitado ainda para a abertura oficial do site do Campeonato, que servirá de base informativa, não só durante a preparação, mas também durante a realização do mesmo, tendo o “clique” sido dado pelo Presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio. O qual lembrou a importância desta iniciativa desportiva que segundo este “é reflexo do trabalho que tem vindo a ser feito pela UMinho, tanto mais notável quando a Universidade não tem formação específica na área do desporto”. Dizendo ser surpreendente a UMinho, com estas características “conseguir ser motor de um nível de participação corrente em prática desportiva, bem como, ao mesmo tempo ter desempenhos competitivos a nível nacional e internacional de tanta excelência como o que tem patenteado nas diversas modalidades. Por outro lado, ter esta predisposição, esta capacidade de ser um agente organizador de eventos com a importância, com a mobilização, com o reconhecimento que mais uma vez este campeonato volta a ostentar. Por tudo isso, é de saudar muito veemente este empenho, este sucesso e dizer que a câmara municipal não pode obviamente ficar alheia a esta dinâmica. Por isso temos e vamos continuar a colaborar com esta capacidade e espirito de iniciativa da UMinho”.

Das várias intervenções, uma coisa ficou bem clara, o evento trás inúmeros benefícios, não só para a projeção do desporto universitário, mas para a própria modalidade de Karaté, para as instituições organizadoras e para a própria cidade que o acolhe.

O evento ficará marcado, como referiu o Administrador dos SASUM “pela diferença”. Será um dos maiores em termos de participantes, dimensão que não assusta os organizadores, pois a excelente relação criada ao longo dos anos entre AAUM, UMinho e SASUM é “um casamento de sucesso” afirmou. Carlos Silva destacou ainda a estratégia de colocação de “players” em determinadas entidades desportivas internacionais, os quais dão força a Portugal e neste caso à UMinho para conseguir trazer para o nosso país e para a UMinho estas organizações e fazer delas o sucesso que têm alcançado.

Já o selecionador nacional de Karaté destacou a especificidade da modalidade, dizendo que é uma competição que envolve muito trabalho no que respeita à sua dinâmica organizativa, afirmando a sua confiança nas instituições organizadoras que certamente farão deste “um campeonato de excelência”. O treinador anunciou ainda a inclusão da modalidade nas escolas, que vai iniciar como projeto-piloto em cinco escolas do país, isto por estar provado que é uma atividade que desenvolve uma evolução em termos cerebrais, que permite ao aluno aumentar o nível de concentração, o nível da aprendizagem, melhorar as relações sociais, o saber estar, o saber ouvir, um conjunto de valores éticos e deontológicos que fazem do praticante um individuo melhor.

Para o Vice-reitor da UMinho, esta organização é mais uma confirmação da aposta acertada e do compromisso da Universidade com o Desporto. “Para nós já não faz sentido a Universidade sem a vertente desportiva, é por isso um caminho que faz sentido continuar a ser seguido” disse. Segundo este, a prática desportiva é um elemento essencial da formação das pessoas e por isso não se pode só afirmar essa intenção, mas tem de se criar as condições para que os alunos possam conciliar a vertente desportiva com a académica “e a UMinho tem conseguido fazer isso”. Destacando o histórico de eventos desportivos internacionais organizados pela UMinho, Rui Vieira de Castro afirmou que a Academia “já naturalizou este tipo de eventos” e por isso, com a continuidade das parcerias e apoios que têm sido feitos com as federações e com as cidades “estão preenchidas as condições para que este evento seja mais um sucesso” afirmou.

Texto: Ana Marques

Este website utiliza cookies que permitem melhorar a sua navegação. Ao continuar a navegar, está a concordar com a sua utilização. O que são Cookies?