Empreendedorismo

Mais de 1000 participantes na Mostra Empresarial da Start Point

Mais de 1000 participantes na Mostra Empresarial da Start Point

O último dia da 11ª edição da Start Point arrancou bem cedo no Complexo Desportivo de Gualtar, espaço que se estreou a receber a Mostra Empresarial. Para além do novo espaço, a maior Feira de Emprego, Empreendedorismo e Formação da região contou também com o palco START POINT Summit, que acolheu cinco conferências e 19 oradores durante a passada terça-feira. A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) juntamente com o Gabinete do Empreendedor (LIFTOFF) e Gabinete de Inserção Profissional (GIP) juntaram mais de 1000 participantes e 72 empresas, startups e entidades no evento, dinamizando a atual edição com diversas novidades.

Uma das inovações mais admiradas pelos participantes da Start Point foram as trotinetes elétricas que a CIRC disponibilizou de forma gratuita para facilitar a deslocação desde o Complexo Pedagógico II até ao local da atividade. As novidades não se ficaram apenas pelos transportes. Depois da chegada ao recinto, a Cereal World ofereceu o pequeno-almoço a todos os inscritos na maior Feira de Emprego, Empreendedorismo e Formação, agradando os vários paladares. Também a Cerveja Letra, feita artesanalmente com ingredientes 100% naturais, levou os sabores do Minho aos visitantes, que aproveitaram para se refrescar ao longo da atividade.

A Transformação Digital foi o primeiro tema a ser debatido. O ex-Reitor da Universidade do Minho e atual Presidente do Laboratório Colaborativo em Transformação Digital (DTx CoLAB), António Cunha, apresentou a conversa que contou com a presença de Susana Marvão, da Business.IT, Teresa Ruão, docente do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho (UMinho), Nelson Pimenta, Diretor Digital da Renascença e Manuel Zamith, investigador do DTx CoLAB.

Em parceria com a Start Up Braga, seguiu-se a apresentação das ideias de negócio do Startup Your Point. Das 10 equipas participantes, apenas três conseguiram alcançar o tão desejado pódio. Portugal Bugs foi o grande vencedor do dia, conquistando o 1º lugar. A Agit também saiu premiada da Start Point e levou para casa a segunda melhor ideia da iniciativa. O 3º posto pertenceu à Shoe'lução, equipa que fechou a lista de vencedores.

Já durante a parte de tarde, Sérgio Denicoli tomou conta do palco START POINT Summit. O doutorado em Comunicação e Estudos de Media pela UMinho e CEO da Exata Publicidade, uma agência experiente em Comunicação Digital, falou sobre o jornalismo e a informação nos dias de hoje. A moderação da conferência ficou ao cargo de Elsa Moura, diretora de informação da Rádio Universitária do Minho (RUM), que evidenciou a importância da comunicação.

Após a parceria conjunta com a RUM, chegou a vez do Gabinete Alumni UMinho juntar três personalidades académicas para discutir as estratégias e contributos para um percurso de sucesso. O Presidente da AAUM, Nuno Reis, moderou esta sessão, que abordou as soft skills e a aprendizagem de línguas através da participação da Professora Maria do Céu Taveira, diretora-adjunta do Departamento de Psicologia Aplicada da EPsi-UMinho, e do Professor Fernando Alves, Diretor do Curso de Línguas Aplicadas do Instituto de Línguas e Ciências Humanas da UMinho e Presidente do Conselho Nacional de Tradução.

A caminhar passo a passo para o final das conferências, a Start Point convidou o Centro para a Valorização de Resíduos (CVR) a abordar as possibilidades e o impacto da adoção de mecanismos de economia circular, particularmente na gestão de resíduos. Luísa Magalhães, diretora executiva da Smart Waste Portugal, Fernando Leite, gestor da Lipor, e Fernando Castro, Presidente do Conselho de Administração da Waste2Value e Professor Catedrático de Engenharia Mecânica da UMinho, falaram sobre o ciclo de vida de um produto e a capacidade em gerar 170.000 empregos e mais de 600 mil milhões de euros de poupança financeira. A conversa teve a moderação de Jorge Araújo, Diretor Executivo do CVR.

A distância acrescida das necessidades da sociedade relativamente ao número de profissionais qualificados em inúmeras áreas de atividade é um problema social bastante difícil de ultrapassar. Desta forma, em parceria com o Conselho Nacional da Juventude (CNJ), o Futuro da Educação foi discutido na Start Point, onde se debateram várias soluções para combater estas dificuldades. Diana Carvalho, dirigente do CNJ, foi a moderado da última sessão do dia. João Baracho, diretor executivo do CDI Portugal, Roberto Machado, CEO da Subvisual e membro-fundador da UTRUST, e Nuno Reis, Presidente da AAUM, deram o mote final do evento, que se destacou por potenciar o contacto direto entre os participantes e o mercado de trabalho, através da divulgação de oportunidades.