Eventos

Receção ao Caloiro'18: Entrevista Wet Bed Gang - "Queremos voltar"

Receção ao Caloiro'18: Entrevista Wet Bed Gang - "Queremos voltar"

Na última noite da Receção ao Caloiro, em Guimarães, os Wet Bed Gang subiram ao palco, deixando toda a gente a dançar. Os quatro artistas portugueses deram boas-vindas aos novos estudantes da Academia Minhota, num clima de animação e de festa.
No final da atuação, depois de recuperarem o fôlego, responderam às nossas perguntas.

O que acharam do público na atuação de hoje?
Foram bué fixes, curtimos mesmo muito. O público correspondeu às nossas expectativas. Já tínhamos vindo uma vez a Guimarães e foi o mesmo, mas em dimensões mais pequenas, não assim. Gostamos mesmo muito, queremos voltar, isto se nos chamarem. 

Como foi sair das “ruas” para os grandes palcos de Portugal?
Nós não saímos das ruas. Se saíres daqui amanhã e fores ter ao meu bairro, eu vou estar lá, igualzinho como estava antes. Chinelos, meias e t-shirt. Nós não saímos, estamos completamente iguais, só que agora andamos na estrada.

O que é que a vossa música tem para que público reaja como reagiu esta noite?
É genuína, é natural e é abençoada por várias estrelas bem grandes que estão lá em cima. É por isso. Não tem outra explicação.

O que podemos esperar dos Wet Bed Gang nos próximos tempos?
Fiquem atentos a tudo o que partilhamos. Nós vamos estar sempre em estúdio a trabalhar e daqui a pouco tempo vão sair coisas novas, coisas bombásticas.

Que mensagem deixariam aos novos alunos da Academia Minhota?
Estudem, não ouçam Zara G. [risos] Digam não às drogas [risos] e, principalmente, divirtam-se. A vida é só uma. Façam o que vos vier à cabeça, curtam à vontade, porque amanhã a gente morreu e não leva nada daqui, senão boas amizades, boas vibes e boas festas como a de hoje.”

Em apenas uma palavra como descreveriam a noite de hoje?
"Toda a noite". [risos]